Artigos

Carta aberta aos insensíveis parlamentares do PT e os compadres da base aliada

Ao receber a visita dos pais de uma garota brutalmente assassinada, com direito a um vídeo gravado e distribuído pelas redes sociais, por um frio assassino, que cometeu o crime premeditadamente, poucas horas antes de atingir a maioridade penal, o veterano Renan Calheiros se emocionou e prometeu colocar a matéria novamente em votação. Por uma dessas razões que só a arrogância do poder explica, sabe-se que bancada de aliados do governo, tendo o partido dos trabalhadores, PT, como maior empecilho é contra a iniciativa.

É incrível como essa gente, que parece residir em outro planeta, não enxerga a agonia dos brasileiros que estão sofrendo horrores no modelo de legislação atual. Os bandidos mirins, cientes de que vão levar apenas uns cascudos e ficar alguns meses de molho em regime diferenciado de detenção, matam, estupram, torturam e dilaceram pais de família como se estivessem comendo uma caixa de biscoitos de chocolate. É inacreditável que os parlamentares do PT, que outrora entendiam os dilemas da classe trabalhadora, se tornam surdos ao clamor das ruas.

A insensibilidade se explica quando torna visível a mudança de comportamento nos que, outrora, defendiam os operários brasileiros. Hoje, eles agem como uma casta superior a usufruir das benesses do poder com requintes de fazer inveja à burguesia que se atola no supérfluo. É muito comum encontra-los as gargalhadas, tilintando taças de vinho nobre nos restaurantes cinco estrelas, protegidos por seguranças que intimidam os menores assassinos.

A insegurança da sociedade, essa que clama pela diminuição da idade penal, é algo que não lhes atinge. Friamente, sem questionamentos que possam prejudicar suas intimas relações com o fantasioso mundo palaciano, analisam a legislação de olho em estatísticas que podem ou não prejudicar um projeto de poder que não se curva ao que interessa ao povão.

Estamos no roteiro apenas como atores coadjuvantes para referendar sua insaciável ganancia pelo comando da nação. Assim como agiram os diferentes grupos ditatoriais que, em diferentes ocasiões, controlaram o país, o lulo petismo se lixa ao grito das ruas. Está em curso uma democradura brasileira. Com ares de democracia porque realiza eleições, mas com práticas ditatoriais quando se trata de atender quem lhes garante salários e regalias nababescas.

É pedir muito que nos deixe viver para trabalhar e pagar a mais alta carga tributária do planeta? Parece que sim, por isso continuamos à mercê de algozes que cometem crimes hediondos antes de completar 18 anos, simplesmente porque podem executar o cidadão impunemente. Como um esporte macabro, sob o aval do PT e os compadres da base aliada. Oxalá! Tenham consciência e mudem de posição. Socorro…

Rosenwal Ferreira: Jornalista e Publicitário
rosenwal@rrassessoria.com
Twitter: @rosenwalF
facebook/jornalistarosenwal

Sobre o Autor

Rosenwal Ferreira

Rosenwal Ferreira é jornalista, publicitário e terapeuta transpessoal. Multimídia talentoso, ele atua na TV Record realizando comentários no quadro 'Olho no Olho', no Balanço Geral. Mantém, há mais de 18 anos, o programa 'Opinião em Debate' que agora está na PUC TV. No meio impresso, é articulista no Diário da Manhã, e no Jornal OHoje.
Radialista de carteirinha, comanda o tradicional programa jornalístico 'Opinião em Debate', que já ocupou o horário nobre em diversas emissoras, e hoje, está na nacionalmente conhecida Rede Bandeirantes 820AM, de segunda a sexta-feira, das 07h30 às 08h30 da manhã. Logo após é membro da bancada mais ativista da felicidade, das 8h30 até às 10h da manhã, na Jovem Pan Goiânia 106,7FM.

Deixe seu Comentário

Clique aqui para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.