Artigos

Mentiras e farsas na AMT

Quando eu afirmei, numa série de artigos publicados no Diário da Manhã, que havia algo de podre nos insensíveis domínios da Agencia Municipal de Trânsito (AMT) de Goiânia fui perseguido, recebi ameaças e fui rotulado com infâmias absurdas. Sempre educado, o responsável pelo órgão, Miguel Thiago, me ouviu com diligência, mas nunca teve a coragem de punir nenhum dos agentes que me achacaram abertamente. Alguns deles ousaram intimidações que dariam cadeia em qualquer País sério. Nada aconteceu.
Ao ser acusado de implantar uma “indústria da multa”, de agir de forma lesiva ao contribuinte, em ação coordenada e documentada pelos próprios agentes, está colhendo o que plantou. Ao deixar de punir a turma sem ética, permitindo correr frouxo os medíocres e imorais, tornou-se refém dos que devia comandar.

Faltou pulso e coragem para agir contra uma minoria. Criou condições para ser também acusado e sofrer retaliações. Está amargando a mesma agonia de muitos que reclamaram e foram ignorados. É assim que funciona. Quem se acostuma com impunidade segue a trilha. Deu certo com o pai de família, por que não vai ter bom êxito com o chefe de plantão?

Profissionais que são do ramo – Miguel Thiago é daqueles que mantém a excelência em nível pessoal, mas nunca foi do “front” de batalha no segmento – alertaram que a “tropa” estava sem controle, se achando o máximo, mantendo ares de que podia fazer tudo o que desse na telha. A minoria ruidosa, fardada e com a arma da multa em mãos, se tornou arrogante. Se não existirem critérios capazes de punir excessos, mostrando que o órgão tem mando e comando, Miguel Thiago não será a primeira nem última vítima.

Em todo caso, o prefeito Paulo Garcia está numa enrascada. Das duas uma: ou seu homem de confiança na AMT é uma mentirosa farsa, com registro histórico denunciado pelos componentes da agência, ou existe um grupo de embusteiros capazes de fazer de tudo para conseguir seus intentos. Nenhuma das conclusões traz benefícios a milhões de motoristas. Apenas incertezas, confirmando minha tese: A AMT está na direção errada, agindo na contramão.



Sobre o Autor

Rosenwal Ferreira

Rosenwal Ferreira é jornalista, publicitário e terapeuta transpessoal. Multimídia talentoso, ele atua na TV Record realizando comentários no quadro 'Olho no Olho', no Balanço Geral. Mantém, há mais de 18 anos, o programa 'Opinião em Debate' que agora está na PUC TV. No meio impresso, é articulista no Diário da Manhã, e no Jornal OHoje.
Radialista de carteirinha, comanda o tradicional programa jornalístico 'Opinião em Debate', que já ocupou o horário nobre em diversas emissoras, e hoje, está na nacionalmente conhecida Rede Bandeirantes 820AM, de segunda a sexta-feira, das 07h30 às 08h30 da manhã. Logo após é membro da bancada mais ativista da felicidade, das 8h30 até às 10h da manhã, na Jovem Pan Goiânia 106,7FM.

5 Comentários

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta para Anonymous Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Rosenwal, como você, uma pessoa inteligente emite notas sem saber o que realmente acontece. Porque niguém investiga para onde vai o dinheiro das multas areecadadas? Você conhece as condições de trabalho dos agentes? Você sabe o que é oferecido de segurança aos agentes? Porque não colocam pessoas técnicas na gestão de um órgão tão importante? A verdade é que na gestão (nem sei se posso chamar assim) de Miguel Tiago ouve sim um incentivo a autuação e alguns agentes acreditaram na promessa do presidente. Sou agente de trânsito licenciado e me licenciei, justamente por essa gestão não se preocupar com o trânsito de Goiânia. Sempre tive a idéia que em primeiro lugar devemos dar fluidez ao trânsto. Ao invés de incentivar a autuação deveria incentivar a fazer o trânsito de GoiÂnia andar, porém faltam técnicos na AMT. A AMT precisa deixar de ser um órgão político.

  • Ninguém questiona a polidez do presidente Miguel Tiago. O foco não é esse. Como um excelente jornalista com certeza vai abrir espaço também o sindicato dos agentes de trânsito, os documentos, o que existe na AMT. Não acho que alguém vai sair com denúncias vazias. Lá não deve haver só agentes arrogantes e despreparados. Há pessoas responsáveis que querem fazer o melhor mas ficam com as mãos amarradas por causa da politicagem, da camaradagem que existe e por ai vai. Muitos agentes assinaram a lista e soube de outros que não assinaram não porque aprovam essa administração mas por terem cargos de confiança e temerem retaliações. Acho que o nome do presidente do sindicato é Clauter Maia

  • Estamos direcionados ao caos do trânsito de São Paulo, enquanto tivermos politicos e não tecnicos comandando o trânsito de Goiânia a situação irá se agravar, e a volta será muito dificil. Qual a formação dos diretores e do presidente da AMT? Para arrumar um emprego hoje em dia é necessário se qualificar e muito. E eles da AMT são especialistas em trânsito e transporte? É por isso que morre tanta gente no trânsito.

  • Acho realmente que deve existir pessoas sérias na AMT, devem existir agentes de trânsito que sejam pessoas sérias e que querem o melhor para o trânsito, porém as poucas vezes em que tive contato com agentes de trânsito em todas elas os agentes agiram com arrogância, demonstrando no mínimo que falta treinamento ao lidar com pessoas, em tempo, sou engenheiro civil e portanto não sou leigo no assunto de trânsito e devo dizer que a gestão do trânsito na cidade vai de mal a pior, a começar que até as pedras da rua sabem que gestão de trânsito começa com planejamento urbano. Eu chamo Goiânia de a maior cidade do interior do mundo, pois é assim que ela é administrada, nesta cidade linda se constrói o que quer onde se quiser, não existe nenhuma regra a ser obedecida, o que dizer de uma cidade que até pouco tempo atrás tinha como secretario de planejamento um homem que é dono de construtora? Sem planejamento urbano sério nenhum trânsito vai funcionar, a muito tempo nesta cidade não se faz planejamento de trânsito mas apenas ficamos achando que alguns viadutos e avenidas vão resolver o problema, isso não é o suficiente…