Artigos

O advogado babaquara e sua trupe de bocós

Considero normal, e um direito líquido, que o craque Neymar tenha escolhido o estilo de cabelo macarrão cozido na papuda para inaugurar sua presença na partida oficial da Copa do Mundo. Seus passes e dribles geniais, acrescidos de um invejável cachê bilionário, lhe asseguram uma áurea de pop star em que até o visual esdrúxulo serve de moldura ao sucesso. Tem cacife de sobra para se dar ao luxo de um fuzuê visual que alimenta a mídia e rende dividendos.

O que causa asco, um nojo típico dos sem caráter, é ver o decadente Diego Maradona dispensar uma melancia no cocuruto e atrair os holofotes acendendo um fétido charuto num quadrilátero proibido. Mas o que esperar de um ídolo argentino que se presta a apoiar ditadores sanguinários para receber migalhas de atenção internacional. Vexame com ele é uma espécie de pó do passado. Na verdade, partículas brancas de sua preferência especial.

Mas o que superou, até agora, todos os desatinos repugnantes, foi o comportamento, amplamente divulgado pelas redes sociais, do advogado pernambucano Diego Valença Jatobá, ex-secretário de Turismo da cidade de Ipojuca, e sua trupe de bocós.

Os energúmenos, numa violenta e abominável demonstração de primitivismo, machismo ultrapassado, covardia e total falta de honra, induziram uma russa simpática a gritar o termo “buceta rosa”. Eu até gostaria de escrever xoxota ou apenas a letra “B”. Mas sem frescura e para que o leitor sinta a indignação, foi isso mesmo que fizeram.

Quem são os cretinos que rodeiam o doutor? Se eu tivesse a informação colocaria o nome de todos. O que pensam essas amebas humanas? Nasceram todos eles de uma vagina de proveta? Lhes sufocam a alma, por acaso, serem notórios filhos da puta com ódio incontido da figura feminina? Pode ser, mas seriam todos bastardos com origem em alguma russa que visitou o agreste nordestino? Tudo pode ser!

Mas nada, nenhuma hipótese, lhes daria o direito de conspurcar os turistas brasileiros, e humilhar os homens de bem do Brasil, com sua demonstração ridícula. Comprovaram que são paquidermes sem ética, numa bobagem sem nenhum proveito ou sentido.

Abomino o que fizeram e peço desculpas públicas ao povo e as mulheres russas. Não somos assim. Faço chegar a Embaixada Russa este artigo com meu sincero perdão. Os torcedores que ousaram a obscenidade deveriam ser, todos, identificados, presos e deportados. Tendo como verdade, porque ninguém desmentiu, que o único sujeito miúdo tenha uma carteira da OAB, que a ordem do Pernambuco o leve ao conselho de ética. E, ainda, que a embaixada brasileira tome providências.

Rosenwal Ferreira

Sobre o Autor

Rosenwal Ferreira

Rosenwal Ferreira é jornalista, publicitário e terapeuta transpessoal. Multimídia talentoso, ele atua na TV Record realizando comentários no quadro Olho no Olho, no Balanço Geral; mantém, há mais de 18 anos, o programa Opinião em Debate que agora está na PUC TV. No meio impresso, é articulista no Diário da Manhã, e no Jornal OHoje.
Radialista de carteirinha, comanda o tradicional programa jornalístico Opinião em Debate, que já ocupou o horário nobre em diversas emissoras, e hoje, está na nacionalmente conhecida Rede Bandeirantes 820am, de segunda a sexta-feira, das 07H30 às 08H30 da manhã. Logo após é membro da bancada mais ativista da felicidade, das 8:30h ate às 10h da manhã, na Jovem Pan Goiânia.

Deixe seu Comentário

Clique aqui para comentar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Patrocinado por