Justiça Notícias Saúde

Estado reforça que irá cumprir liminar que suspende transição de OSs na gestão do Hugo

Depois de ver descumprida a decisão liminar que suspendia a transição entre Organizações Sociais (OSs) na gestão do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), conforme noticiou o Mais Goiás no último 29/8, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), divulgou nota para anunciar que irá realizar ações para respeitar a determinação judicial publicada no último 23/8, e que era ignorada por funcionários do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), vencedora do processo seletivo .

Com isso, a pasta reforça que o Instituto Haver permanece na administração do hospital enquanto a Justiça não chega a uma conclusão definitiva para a situação. O motivo da suspensão foi o fato de o INTS ter sido enquadrada como não habilitada para o certame.  De acordo com informações trazidas a tona por este portal, a entidade não cumpriu os requisitos necessários estabelecidos na Lei n° 15.503, a qual dispõe sobre a qualificação das entidades como organizações sociais estaduais.

Durante o processo seletivo, entretanto, o Governo do Estado enviou à Assembleia Legislativa (Alego) um projeto de Lei que alterava especificações da referida lei para propiciar a chegada da vencedora do certame ao status de habilitada. As mudanças trazidas pelo dispositivo legal 20.487/2019 , então, possibilitaram que o INTS apresentasse recurso com base nas alterações provocadas pelo estado, de modo que recuperou a habilitação. De acordo com a sentença, porém, as mudanças previstas na Lei não poderiam ser aplicadas ao processo em andamento.

Diante disso, a SES reforça a intenção de cumprir a determinação judicial. “No momento, em atenção à decisão liminar, o chamamento público está suspenso e o Instituto Haver segue na gestão do Hugo. Qualquer transição necessária nos contratos de gestão da pasta com as Organizações Sociais será realizada de forma responsável, tranquila e respeitosas para com os trabalhadores e a população”, escreveu.

Protesto

Temerosos por demissões, reduções de cargas horárias e salários, que podem ocorrer com a transição de Organizações Sociais na gestão do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), funcionários se reúnem nesta tarde(6) para um protesto em frente à unidade. A aglomeração, agendada para as 17h30 tem o intuito de expor, segundo os trabalhadores, principalmente o “risco para a segurança do paciente, com a suposta demissão em massa”.

Na pauta estão também a intenção de manifestar repúdio com a “falta de transparência na mudança de OS”, reivindicação da manutenção da jornada de trabalho de 30 horas semanais para enfermeiros e pela garantia dos direitos trabalhistas, que segundo a organização do protesto, estão em risco.

Sobre o Autor

Rosenwal Ferreira

Rosenwal Ferreira é jornalista, publicitário e terapeuta transpessoal. Multimídia talentoso, ele atua na TV Record realizando comentários no quadro Olho no Olho, no Balanço Geral; mantém, há mais de 18 anos, o programa Opinião em Debate que agora está na PUC TV. No meio impresso, é articulista no Diário da Manhã, e no Jornal OHoje.
Radialista de carteirinha, comanda o tradicional programa jornalístico Opinião em Debate, que já ocupou o horário nobre em diversas emissoras, e hoje, está na nacionalmente conhecida Rede Bandeirantes 820am, de segunda a sexta-feira, das 07H30 às 08H30 da manhã. Logo após é membro da bancada mais ativista da felicidade, das 8:30h ate às 10h da manhã, na Jovem Pan Goiânia.

Deixe seu Comentário

Clique aqui para comentar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Patrocinado por